Palacete do Conde de Moreira Lima

No segundo dia que visitei Guaratinguetá, consegui terminar mais cedo meus trabalhos de pesquisa e dei uma esticada até Lorena, cidade vizinha. Uma cidade aprazível, com uma bela avenida calçada de pedras, alguns casarões históricos e um largo predomínio dos Salesianos. Além da UNISAL (Universidade Salesiana) há várias escolas geridas pela Congregação Salesiana. A UNISAL está para Lorena, como a UNITAU está para Taubaté. Ao que pude perceber, as freiras e os padres salesianos estão na cidade desde a última década do século XIX.

Visitei brevemente a Biblioteca Municipal, que possui em seu 2º andar o Arquivo Municipal. A responsável pelo Arquivo estava doente (e permaneceu nos 4 próximos dias) e por isso o local estava fechado para pesquisas. Conversei um pouco com o Maurício, atendente da Biblioteca Municipal e fui dar uma volta pelas redondezas para conhecer a cidade.

Logo percebi que o Conde de Moreira Lima era o grande “pai” dos lorenenses. A praça onde está a Biblioteca leva seu nome e também apresenta seu busto. Ao lado, há a Santa Casa de Misericórdia, que já levou seu nome, por ser patrono fundador. Caminhando para além da linha do trem, pude avistar uma belíssima Igreja, que num muro de azulejos na entrada pude notar que ela foi construída também pelo Conde. A Igreja São Benedito foi uma das obras mais suntuosas do Conde. Ele foi o responsável pela arrecadação de dinheiro na cidade para que fosse possível tamanha opulência dessa Igreja. Graças a seu esforço, conseguiu ter elevado seu título de Visconde para Conde em 1885, se tornando o único Conde do Vale do Paraíba. Isto ocorreu 1 ano após a visita de d. Pedro II, da Imperatriz Thereza Cristina, da Princesa Isabele Conde D’Eu em 1886.

Igreja de São Benedito

Aliás, a ascensão nobiliárquica do Conde de Moreira Lima está intimamente ligada às recepções que ele organizou para a Família Imperial, quando em viagem pela região e passagem pela cidade. Em 1882, Joaquim José Moreira Lima torna-se Barão devido a sua ajuda financeira na Guerra do Paraguai. Em 1884 recebe a Princesa Isabel na cidade e aproveita para encantar toda a comitiva Imperial com 2 grandes inaugurações: Igreja de São Benedito e o Engenho Central. A Princesa Isabel parece ter ficado bastante impressionada com o Engenho montado pelo então Barão de Moreira Lima, pois o descreveu como o mais avançado e moderno da Província de São Paulo. Um ano depois, o Barão torna-se Visconde.

Conde de Moreira Lima

Não contente, o Visconde de Moreira Lima preparou mais um surpresa para os Imperiantes. Em 1886, durante visita do Imperador d. Pedro II e sua esposa, a Imperatriz e da Princesa Isabel com seu marido, Conde D’Eu, Moreira Lima preparou 3 atos de enorme expressão para a cidade e para os importantes viajantes. Inaugurou a linha de bondes do Engenho Central, ligando a fábrica ao centro e à estação de Lorena. Somente para a visita do Imperador, a Câmara aprovou que fossem utilizados bondes à vapor, novidade à época em terras valeparaibanas. Além disso, ciente de que d. Pedro II estava interessado na ampliação da iluminação pública do país, o Visconde também inaugurou a iluminação à gás de hulha na Igreja de São Benedito e em seu Palacete, onde hospedara toda a Família Imperial.

Mas, o acontecimento mais significativo na cidade de Lorena foi outro. Apesar do Visconde não ter organizado formalmente, foi amplamente beneficiado pelo histórico ato. Sabendo da visita do Imperador, os vereadores da Câmara Municipal organizaram a compra de um Livro de Ouro, onde deveriam colher assinaturas e doações em dinheiro para a compra de cartas de alforria. Este ato simbólico já estava ocorrendo nas cidades do Vale fluminense. Segundo as atas da Câmara de Lorena daquele período, a primeira assinatura deveria ser de d. Pedro II. E foi o que aconteceu. O Imperador não só assinou, como doou 500 mil réis para a comissão responsável. Também foi organizada uma outra comissão que deveria arrecadar dinheiro suficiente para libertação de 2 escravas. As cartas de alforria dessas 2 escravas foram entregues pessoalmente pela Princesa Isabel. Dessa forma, a cidade de Lorena ficou na memória da Família Imperial, que não se esqueceu do Visconde de Moreira Lima. Em 1887, por decreto, d. Pedro II o elevou de Visconde para Conde de Moreira Lima.

Esse é um dos exemplos que ilustram perfeitamente o meu estudo. As viagens do Imperador e de sua filha eram utilizadas para reforçar seu poder nas cidades e regiões distantes da Corte, enquanto, por outro lado, o poder local aproveitava a honra de ter d. Pedro II na região de seu domínio para reafirmar seu poderio local e angariar uma inserção maior na sociedade e na política da época.

Anúncios